Alemanha Berlim Cidades da Alemanha Região Leste Alemanha

Fui à Berlin e estou de volta!!!

Fiquei um tempo sem escrever, mas foi por uma boa causa. Minha irmã veio me visitar.

Recebê-la em casa foi umas das melhores sensações que tive desde que mudei para a Alemanha.
Mostrar o bairro que moro, os cantinhos que gosto na cidade. Também a levei para conhecer as cidades aqui próximas, e vou contar um pouquinho para vocês.

Ela chegou exatamente no dia que completou 6 meses que estamos morando na Alemanha. Uma ótima coincidência!! Vê-la renovou minhas energias.

Obrigada pela visita meine Schwester!!
Volte em breve!!!
No primeiro dia ficamos em Aachen e andamos bastante.
Nos outros dias conhecemos cidades da Bélgica, como, Liège, Bruxelas e também cidades da Holanda, como Vaals, Maastricht.
Aqui na Alemanha fomos à Colônia, Monschau e passamos um final de semana especial em Berlin.

Foi a primeira vez que fui a Berlin, e adorei. É uma cidade grande, movimentada, cheia de vida e com muita história.

Em Berlin andamos bastante e procuramos conhecer alguns lugares históricos e marcados pela Segunda Guerra Mundial.
 Alemanha Oriental e Ocidental!
Pedaço do muro de Berlin, que agora é cheio de arte.
Brandenburger Tor
Cartão Postal da Cidade não poderia faltar!!
Em 1961 foi construído o Muro de Berlin (o principal símbolo da Guerra Fria), e o Portão foi isolado, ficando do lado que pertencia aos soviéticos.
Com a queda do Muro, em 1989, o portão foi reaberto, e hoje só é permitido o tráfego de pedestres pelo portão.
Hoje o portão é o símbolo da Unificação da Alemanha e é cenário de muitas datas comemorativas, entre elas, o famoso Ano Novo.
Bem próximo de lá está o Memorial do Holocausto (também conhecido como Memorial aos Judeus mortos na Europa) e também fomos visitar.
O monumento é formado por 2711 blocos de concretos, distribuídos em fileiras paralelas. Foi inaugurado em 2005, fazendo parte da comemoração dos 60 anos do fim da Segunda Guerra Mundial.
De acordo com o Arquiteto que projetou o monumento, ele foi criado para produzir uma intranquilidade, e representa um sistema supostamente ordenado que perdeu o contato com a razão humana.
No subsolo fica o Local de Informações, onde são documentadas informações de todas as vítimas judias do Holocausto. A entrada é gratuita.
Este local tem no chão, trechos de cartas que, muitas vezes, os prisioneiros escreviam para familiares dizendo adeus e afirmando que sabiam estar a pouco tempo de morrer.
Particularmente, não consegui ficar muito nessa sala, nem ler muitas histórias, a última que li era de um menino de 12 anos dizendo que tinha medo de morrer daquela forma (pois ele sabia que iria para a câmara de gás). É muito triste e este lugar tem uma energia muito forte.
Saindo de lá, andamos muuuuuito. Passamos pelo Konzerthaus.
E chegamos na tão esperada e linda Catedral de Berlin
Berliner DOM
Subimos na Beliner Fernsehturm e a vista de lá é linda
Vista da Beliner Fernsehturm
É uma Torre de Radiodifusão, localizada na Alexanderplatz, possui 368m de altura e é um dos símbolos da cidade.
Saindo da Torre jantamos no restaurante Fraticelli, que eu super indico, a comida e o atendimento estavam ótimos!!
No domingo conhecemos um Campo de Concentração, Zwangsarbeit. Era um Campo de Trabalho Forçado. Um dos objetivos desses campos era fazer com que as empresas diminuíssem os custos com trabalhador, pois deveriam pagar uma taxa maior para o Governo, que tinha intenção de arrecadar cada vez mais dinheiro, para financiar a Guerra. Mas o principal objetivo era o “extermínio através do trabalho forçado”.
Descobrimos algumas empresas que utilizaram o trabalho forçado, como a Siemens e a BMW.
No geral, as pessoas usadas para o trabalho forçado eram estrangeiros, prisioneiros de guerra, judeus, ciganos e homossexuais.
Nesse lugar estão muitas fotos e objetos expostos, um que chamou a nossa atenção foi esse.
É um instrumento utilizado para realizar abortos. Os filhos dos prisioneiros não eram bem-vindos e quando a gravidez chegava ao final, as mães eram separadas dos filhos dias após o nascimento, e nunca mais voltavam a vê-los. As mães, alguns dias após o parto, eram obrigadas a voltar ao trabalho.
Esse também é um lugar muito triste, com muitos documentos, fotos e olhares entristecidos.
Saindo de lá fomos para uma manifestação em apoio as manifestações que estavam ocorrendo no Brasil. Contei sobre isso nessa postagem.
O local escolhido para o almoço foi o Hard Rock Berlin!!!
E também aproveitamos para aumentar nossa coleção de camisetas do Hard Rock pelo Mundo!!!rsrs
Depois fomos em direção ao Museum Ramones!!!
No caminho achamos um lugar muito interessante. É uma espécie de beco, onde na época da Guerra funcionava uma fábrica de vassouras, o proprietário se chamava Otto Weidt. Ele ficou conhecido por empregar e até esconder vários judeus.
No local hoje existe um museu sobre Otto Weidt e sobre Anne Frank. É um local cheio de grafites e bem interessante, adorei o clima de lá.
Na saída desse “beco” encontramos essas plaquinhas.
(Tradução da primeira plaquinha: Aqui viveu Georg Saliner, Ano de Nascimento 1892, deportado 1943 para Auschwitz e assassinado)
Depois descobri que essas placas são colocadas em frente a última casa que viveram as vítimas da Guerra.
É uma placa de bronze colocada sempre na calçada, em alemão é chamada de Stolpersteine (pedras de tropeço). A finalidade dela é para que as vítimas nunca sejam esquecidas, e são colocadas na calçada para que as pessoas “tropecem” nelas (apesar de não tropeçar de fato), se curvem para ler, e assim nunca se esqueçam das tantas vidas que foram perdidas no passado.
Achei a ideia ótima, pois as pessoas que tanto sofreram, merecem sim ser lembradas.
Saindo de lá encontramos muitas, mas muitas Stolpersteine.
E enfim, chegamos no Museum Ramones!!!
E assim, encerramos a viagem curta mas muito enriquecedora a Berlin. Amei e pretendo voltar, pois ainda tem muita coisa boa para ver.
Na volta para casa paramos em Dortmund, e passamos rapidamente pelo Estádio do Borussia.
A Capital da Alemanha é encantadora, tem seus mistérios, suas histórias e eu viajei no tempo, imaginando tudo.
Berlin é uma cidade que merece ser conhecida!!!!

Você pode gostar também

2 Comentários

  • Reply
    monikatognollo
    6 de julho de 2013 at 21:13

    Ich liebe Berlin!!!!

  • Reply
    Aline Dota
    11 de julho de 2013 at 16:30

    Ich liebe Berlin auch!!! 😉

  • Deixe um comentário